sábado, 30 de junho de 2012

Faz marra, diz que não quer mais saber, que esqueceu e seguiu em frente mas ainda age tentando impressionar, querendo mostrar estar por cima, o olho ainda corre procurando aquele nome na lista de contatos. Só podemos afirmar ter superado algo ou alguém quando aquilo não passa de mera lembrança ocasional, caso contrário meu bem, o passado ainda é presente.
A verdade é que é difícil largar, dizer adeus para aquilo que nós sabemos que deve ir, mas não queremos que vá. Acredito que devemos enfrentar nossos medos e desejos de frente, encará-los até que entendam quem é que manda e superá-los. Mas há quem diga que quando o enfrentamento e a mudança gradual e negociável não são possíveis, quando não somos fortes o suficiente para seguir em frente, é necessário ser radical. Cortar de vez, sem desculpas, porque's ou avisos prévios. Sou obrigada a concordar. 



Nenhum comentário: