terça-feira, 28 de agosto de 2012

Adeus, então.

"Era você que estava faltando para eu ficar feliz". Foram as palavras que li na caixa de mensagens do meu celular ao acordar naquele dia frio de inverno. Ainda não havia terminado de ler, meu rosto foi preenchido por um sorriso. Li e a reli várias vezes, sorrindo feito boba em cada uma delas, antes de levantar-me da cama.
Era quase meio-dia. Você estava no trabalho e eu, em sua casa, contava as horas e os minutos pra te ver novamente. Sentir teu cheiro, seu abraço, seus olhos perdidos nos meus. O dia pareceu correr vagarosamente até que, ao término do pôr-do-sol, você apareceu. Te vi pela janela da sala, com seu traje social. Embora cansado e "bagunçado", como costumava dizer, você estava lindo. Não pude conter o sorriso, finalmente poderia matar a saudade. Corri e te envolvi em abraços e beijos que, carinhosa e alegremente, você correspondeu.
Entre as poucas lembranças que minha limitada memória me permitiu guardar, esta é uma das mais fortes que tenho, tão vívida, como se tudo tivesse acontecido ontem. Mas já fazem anos e por algum motivo eu ainda não consegui simplesmente deixar de lado.
Não existe qualquer mal entendido: todos os pingos já foram colocados em seus respectivos "i's", toda vírgula já foi substituída por um ponto final. Como você está? O que tem feito? Você sente minha falta? Como você tem lidado com tudo isso? Encontrou alguém que te complete? Tantas perguntas se passam por minha cabeça, e acredito que você jamais irá conhecê-las. Melhor assim: você aí e eu aqui. 
Você já sofreu demais com toda essa história, não é mesmo? Eu também. Mentiria se dissesse que não sinto nem um pouco sua falta, ou então de me sentir apaixonada, ter a quem direcionar meus sentimentos e pensamentos.
Hoje me peguei pensando em toda essa  história maluca que foi a nossa, mais precisamente no que nos juntou. Lembrei das conversas, dos pensamentos, dos momentos... É incrível como tínhamos muito em comum. Eu adorava principalmente as nossas conversas, o compartilhamento das nossas filosofias de vida. Elas me fazem falta. Bem como sua amizade, bem como seu sorriso e o calor do seu coração. "Éramos incomparáveis e imbatíveis juntos, unidos, jovens, sonhadores, cheios de amor e paixão, carinhosos, românticos, inteligentes, educados... casal modelo era uma descrição aceitável, mas ainda de muito baixo nível." foram suas palavras para nos descrever uma certa vez. Mas assim como nossa história e suas promessas, isso também ficou perdido no tempo, não é?
Enfim, não quero tomar muito do seu tempo, passei apenas para dizer adeus. Eu sei que você já trilhou o seu caminho, na verdade, hoje isso é tudo o que sei sobre você. Eu costumava reconhecer o seu sorriso, o tom da sua voz, o conteúdo escondido nas entrelinhas de suas palavras, os seus pensamentos, seu jeito... Realmente costumávamos quebrar as regras da matemática, onde somando um + um = um (eu + você = nós) , mas hoje a contraríamos de outra forma, onde um + um = 0, e você é um estranho pra mim. Eu amava quem você era... Ou talvez apenas amasse a idealização que tinha de você. Espero que você esteja bem, que esteja feliz, onde quer que esteja e quem quer que hoje seja. Então... adeus.