quarta-feira, 23 de março de 2011

E daí?

E daí se eu esqueci de crescer? Se eu acredito na bondade, se adoro filmes onde no final prevalece a felicidade? E daí se eu tenho um mundo imaginário onde tudo acontece como, quando e onde eu quero? Se contrario toda a maldade e vejo tudo mais belo?
Vivo em um mundo onde a felicidade é utopia, ter valores é careta e bondade é burrice. Onde quem manda é o dinheiro e igualdade é slogan de campanha eleitoral. Um mundo onde se conformar é sinônimo de ser esperto e o esporte é a "malandragem". Um mundo onde quem estuda sofre bullying e quem arrisca a própria vida pra ficar famoso é herói. Um mundo em que as pessoas fazem tudo por dinheiro, status e fama; onde falar mal dos outros dá ibope e morrer de fome é natural. Um mundo onde a coragem está em extinção e ousadia se confunde com rebeldia; onde acabar com a própria privacidade é legal e reinvindica-lá é chatice.
Me desculpe então se eu não ligo, se eu não te sigo, se eu imagino. É realmente difícil dizer não, andar de encontro a olhares de reprovação, mas é preciso isso se você não quiser ser só mais um na população. Não vivo em um mundo perfeito mas nem por isso vou deixar de ser feliz.
De toda a privacidade invadida, uma JAMAIS alcançarão: o que eu penso, o que eu desejo, o que eu planejo.
E daí se me acham ingênua? E daí se me acham louca? Se eu me importasse perderia tempo demais me preocupando e existem coisas mais importantes acontecendo. Eles nunca se cansarão de julgar e eu nunca me cansarei de fazer tudo diferente.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Desabafo


Existem momentos na vida em que tudo vai bem e não há do que reclamar. Cada dia nasce com uma nova agradável surpresa e a preocupação é pequena. Existem outros momentos, no entanto, que não são tão belos assim. As escolhas ficam mais complicadas, as conversas mais delicadas e tudo o que você disser poderá - e será - usado, em algum momento, contra você.
Nessas horas da vontade de "chutar o balde", dizer tudo o que você pensa/sente/acredita/quer e deixar que os outros se resolvam com os sentimentos deles. Ainda mais quando te tiram uma de suas paixões e não te permitem exercê-lá sem que alguém se sinta ofendido.
Pra ser bem sincera eu estou bem cansada disso: ser vigiada e julgada em cada passo que eu dou, em cada palavra que eu digo... Sinto como se todo mundo estivesse apenas esperando eu cometer algum deslize pra apontar e dizer: "eu te disse". Como se eu não pudesse ter minhas vontades, expressar o que eu penso ou ter o direito de errar. Como se o mais importante fosse estar certo e não ajudar.
Eu não sou perfeita - muito longe disso - vivo errando e aprendendo. Tenho amor a minha vida e mais ainda a Deus, o único motivo pelo qual eu não jogo tudo fora, o único motivo pelo qual eu sou quem sou e continuarei sendo.
Me desculpem, mas eu também sou humana, tenho sentimentos e preciso, de algum jeito, colocar isso pra fora. Não quero compreensão, explicações, desculpas, opiniões... Apenas dizer isso.