quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Cartas e afeto.

Procurando alguma coisa no meu guarda-roupa reparei em uma caixa de tênis empilhada sobre outras. Não vou dizer que fiquei curiosa para saber o que havia ali, graças a minha mania de organização e limpeza eu separei cada uma para uma função e aquela era minha caixa de cartas. Todo mundo tem uma... ou ao menos deveria ter. Decidi explorá-la. Não preciso ficar relatando o que eu vi lá; um monte de cartas velhas, lembranças, tristezas, alegrias, sorrisos... Sentada ali, resgatando um pouco do passado eu percebi uma coisa: fazmuito tempo que eu não recebo uma carta. Quero dizer, qual foi a última vez que você recebeu alguma carta que não dizia o valor da sua conta de telefone ou que sua conta de água estava atrasada? Hoje é tudo tão rápido, tão instantâneo, quando alguém quer te dizer algo essa pessoa simplismente te pede pra - ou espera você - entrar no msn e te diz tudo o que esta engasgado - seja algo bom ou ruim - ou então manda um e-mail, depoimento, seja la o que mais. Não só a companhia de correios deve ter sentido uma diferença como também a telefônica, pessoas ligam cada vez menos umas para as outras quando estas moram na mesma cidade. Quando você vai chamar alguém para sair a primeira coisa que pensa é em "deixar um scrap". Ou então ao tirar uma foto com os amigos, sempre tem alguem que diz "vou colocar essa no orkut"... A alguns anos atrás pensaríamos em revelá-la e guardá-la de lembrança. Podemos mencionar também aquele seu amigo que esta no cinema e acabou de postar isso no twitter, detalhes a parte, eu detestaria se alguém tivesse saído comigo e estivesse com seu 'iPhone', ou o quer que seja, postando na internet. Evoluimos tanto com a tecnologia e regredimos com a mesma velocidade na comunicação, as demonstrações de carinho, afeto, amor... Existem pessoas que não sabem se expressar se não tiverem a sua frente um monitor e um teclado a mão, e isso é realmente uma droga. Não to dizendo que todos deveríamos saber falar, nunca, cada um tem uma personalidade, as suas dificuldades... o que estou tentando dizer é que não devemos deixar pra dizer as coisas somente digitando palavras, nos descostumar a isso e aprender a nos relacionar melhor. Do que adianta termos tudo a mão se simplismente não sabemos fazer bom uso? Se eu pudesse dar um conselho, eu diria para essas pessoas se abraçarem mais, conversarem mais, rirem mais... como diriam algumas: "ficar off" para o mundo virtual e se conectarem ao mundo tridimensional! Não perca alguém ou algo pra saber que você poderia ter uma vida melhor! ;)