quinta-feira, 2 de junho de 2011

Saudade.

Por muitas vezes peguei uma folha e caneta afim de escreve algo interessante, qualquer que fosse o assunto. Na verdade, um tema eu já tinha definido: eu e você. Mas por mais que eu tentasse, as palavras fugiam do pensamento antes que eu pudesse transpo-la ao papel. Não por falta do que dizer ou de criatividade, mas por nada parecer suficiente para expressar os sentimentos. O universo das palavras, tão vasto e ao mesmo tempo, tão limitado. Talvez seja eu quem o limite.

A verdade é que meu mundo desabou de uma vez quando te vi partir. Não quis admitir, aliás, eu sempre fui - ou ao menos tentei e tento - ser tão forte quanto você. Como você faz? Como consegue carregar tantas coisas sozinha e ainda preencher a vida dos outros com felicidade? Eu tento tentado, e talvez conseguido com algum êxito, mas a verdade é que eu acho que jamais superarei a falta que você me faz. No dia - a - dia, nas horas, nos minutos. Sua voz, seus abraços, carinhos, beijos, encorajamento... É difícil caminhar sem sua companhia.

Eu te amo e sinto sua falta muito mais do que consigo expressar e muitas vezes do que eu mesma sei. É consequência do meu mal costume em jogar tudo pra dentro e viver como se não existisse. Mas a verdade é que nós só resolvemos um problema quando o enfrentamos, não é mesmo? Eu devia saber disso...

Você é meu exemplo e eu sei que tenho muito mais de você do que apenas a aparência física. Aprendi a maioria das coisas que sei com você e continuo aprendendo, mesmo longe. Espero ser um dia um pouco da grande mulher que você é.

Nenhum comentário: