quinta-feira, 12 de novembro de 2009

-

Na escuridão da noite que encobre o dia as vezes tenho vontade de sumir, simplismente sumir. Tenho vontade de me enfiar debaixo do edredon e ali me esconder até enjoar de mim. Quero ficar sozinha, ouvir o eco dos meus pensamentos [que mudam com a mesma velocidade que um piscar de olhos], quero encarar a parede e me esvaziar dos sentimentos que me atormentam, quero chorar até que as lágrimas ja não existam mais! E na maioria das vezes, tenho a impressão de que essa sensação nunca irá passar. Deito e antes que perceba, eu durmo. Sou acordada pelo som do despertador, e em um ato rotineiro desligo-o, me viro de lado e só penso em dormir, em nunca mais sair dali. Mas sou incomodada por alguns feixes de luz que invadem meu quarto pela fresta que eu me esqueci de fechar. Penso mais duas vezes, e encorajo-me a levantar. Do horizonte, o sol sorri tímido para mim, as folhas verdes das árvores balançam preguiçosamente e os passarinhos já estão a cantarolar. É então que todo o desconforto da noite anterior me abandona, e vagarosamente me recordo do porque estou aqui. Estou aqui não porque me obrigaram, não porque me seguram, estou aqui, primeiramente, porque alguém maior quis que eu estivesse, alguém sonhou comigo e me amou de tal maneira que me fez existir. Estou aqui por Deus, pela minha família, pelos meus amigos e por aqueles que nem sequer sabem que eu existo. Não nasci do acaso, nem somente do amor de duas pessoas, não nasci pra ser mais um número nas estatísticas... eu nasci pra fazer a diferença! Apesar de tudo, fico feliz de respirar, pensar, falar e agir. E se tiver o amor daqueles que eu amo... então estarei feliz em simplismente estar aqui ;)

Um comentário:

Ana Luiza Verzola disse...

Às vezes tenho essa estranha sensação, de dormir desejando que no outro dia esteja tudo bem... Dá um apertãozinho no coração!
Mas temos motivo para estar aqui, com todos nossos defeitos e qualidades..